Declaração de compromisso – 8º 1ª Escola Pedro Santarém Lisboa Portugal

“A Igualdade de Género assenta no pressuposto que todos os seres humanos são livres para fazerem escolhas e desenvolver as suas capacidades pessoais, sem as limitações estabelecidas pelos papéis de género socialmente estereotipados. A Igualdade entre Mulheres e Homens é um princípio constitucional consagrado no Artigo 13º Constituição República Portuguesa”: “Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.”

1- Assegurar a prática de medidas não discriminatórias em matéria de igualdade de género com base na aplicação do Artigo 13º Constituição República Portuguesa e do regulamento interno da escola;

2-Respeitar/considerar e valorizar as condutas (comportamentos, objetivos e necessidades) femininas e masculinas dentro e fora da escola.

3- Promover as relações de cooperação e ajuda entre os rapazes e as raparigas de forma a serem respeitadoras, saudáveis, amigáveis e cordiais dentro e fora da escola.

4- Garantir a prática de uma linguagem inclusiva dentro e fora da escola para fazer a referência de igual modo a raparigas e a rapazes.

5- Incorporar os conhecimentos e a experiência das mulheres nos conteúdos curriculares nas disciplinas de diferentes níveis do ensino e, em particular, nas temáticas da Educação Cívica e Cidadania.

6- Criar e promover espaços de debates e reflexões com propostas geradoras de mudança na área da Igualdade de género, dentro e fora da escola;

7- Utilizar os diferentes meios de comunicação na escola para dar visibilidade às questões relacionadas com a igualdade de oportunidades entre mulheres e homens.

 

 

8- Desenvolver ações de informação, sensibilização e formação na escola, no âmbito da violência domestica, violência no namoro , trafico dos seres em articulação  com organizações da sociedade civil, empresas e com os municípios.

9 – Produzir e fixar folhetos e cartazes no átrio da escola com frases  apelativas para denunciar a de violação da igualdade  de género.

10- Colocar ao dispor dos alunos os meios necessários para a deteção e apresentação das denuncias de violação da igualdade  de género à direção da escola.

11- Assegurar a análise cuidadosa das denuncias, promovendo as  medidas de correcção e melhoria em tempo útil pela direção da escola.

12- Dirigir uma carta a comunidade educativa, aos poderes locais, aos nossos familiares e amigos manifestando a nossa solidariedade com as pessoas vítimas de violência do género. Pedimos as pessoas para serem cidadãos atentos, empenhados a detectar  e denunciar  qualquer violência da igualdade do género.

13 – Ajudar na promoção e divulgação de algumas iniciativas da GRAAL –  Movimento internacional das Mulheres junto da comunidade educativa.

14- Mobilizar e sensibilizar os alunos de diferentes níveis de ensino da nossa escola para participarem no próximo ano letivo no projeto Conectando o Mundos edição 2016-2017 . Prepararmos em conjunto o dia 8 de Março com várias iniciativas e culminando com a realização da conferência proferida pelo(s) elementos da  organização da sociedade civil(ONGs)  afectos a esta temática.

Lisboa, 10  de Março de 2016

Turma: 8º 1ª

Eduardo Mourinho

Catarina Trancoso

Beatriz Beleniuc